• Karoline Meyer

Petra Dive Games Brasil 2016


Petra Dive Games Brasil - evento esportivo de mergulho em apneia reuniu atletas numa prova inédita em sul-americanas! Já se imaginou caindo no fundo do mar, em apneia, com uma pedra de 11kg nos braços? Aconteceu neste último final de semana na ilha do Xavier, em Florianopolis, o Petra Dive Games Brasil 2016. Com uma condição excelente de mar e clima, 14 atletas distribuídos por categorias, competiram nesta prova inédita na América do sul, que remonta a história dos antigos gregos pescadores de esponjas. Sim, o mergulho em apneia é uma história antiga de paixão entre o homem e o mar... O nome desta disciplina é Skandalopetra. A pedra, ou Petra, foi a única ferramenta de mergulho, desde os tempos de Alexandre O Grande, que permitiu ao homem mergulhar com segurança por séculos. O mergulhador mais conhecido da era contemporânea foi Haggi Statti, que em 14 julho de 1913 realizou o primeiro recorde mundial que se tem registro da história do mergulho livre esportivo, quando recuperou uma âncora de um navio italiano à -73m de profundidade. Tornou-se uma disciplina esportiva graças ao empenho do grego Dr. NIkolas Trikilis, mentor das regras juntamente com a associação grega do esporte. A atleta brasileira Karol Meyer foi a única a conquistar 2 recordes mundiais nesta modalidade e idealizou a realização da prova na América do Sul. A pedra é feita geralmente de mármore ou granito, de 6kg a 14kg, com corte hidrodinâmico, é presa a um cabo, o atleta anuncia a profundidade que pretende atingir e se lança no mar, sem máscara, roupa de neoprene ou mesmo nadadeiras, apenas com um grampo no nariz. O seu dupla executa o papel de lançar o cabo ao mar e, ao estirar o cabo na profundidade combinada, passa a recuperar o atleta puxando o cabo com as mãos, seu nome em grego é Koulauzeris. Cada dupla executa os dois papéis e vence a dupla com o menor tempo total realizado de mergulho. Acompanhando a prova dois juízes cronometraram e controlaram todos os requisitos com maestria: George Martins da Cunha e Fabiano Linhares Silveira. Na água atuaram os mergulhadores de segurança Jorge Luiz Silveira e Tiago Martins, em parceria com atletas que encerravam suas performances, tudo funcionou em perfeita harmonia. A fotógrafa Juliana Clementi se encarregou de registrar cada mergulho. A prova exige grande habilidade para lidar com a pressão, agilidade na compensação dos ouvidos, hidrodinamismo, muita tática e técnica durante todo o mergulho. As sete duplas inscritas deram um show de performance, todos cumprindo com perfeição as profundidades anunciadas. Confira os resultados: Duplas - Masculino 1ª Daniele Pastorino e Tiago Junior da Silva -25m 01:27,63 1ª Icaro Oliveira do Valle e Carlos H. B. Diezel -20m 01:31,16 1ª Eduardo Valduga e Tiago Taranto Farat -15 00:58,22 2ª Davo Porta e Julio Cesar Flores -15m 01:10,58 Duplas - Feminino 1ª Karol M Meyer e Cibele Sanches - 15m 01:08,01 1ª Maria Paula S. Conceição e Denise D. Magalhães -10m 00:48,42 2ª Ariane Santana e Leticia Mattos -10m 00:54,38 O local escolhido foi perfeito não somente pelas condições de mar, mas também pela história entre as culturas grega e brasileira, rendendo homenagem ao povo grego que tanto contribuiu para o crescimento da região. Poucos sabem mas a comunidade grega de Florianopolis é a mais antiga do Brasil! O acaso fez com que Florianópolis, capital de Santa Catarina, fosse sede da primeira colônia grega constituída no Brasil. Foi em 1883, quando o veleiro mercante "Lefki Peristerá" ("Pomba Branca"), suspendeu, por algumas semanas, sua viagem com destino a Buenos Aires, em função de avarias sofridas durante uma tempestade próximo ao Farol de Santa Marta, em Laguna - Santa Catarina. A embarcação retornou à antiga Desterro, atualmente Florianópolis, para fazer reparos no mastro danificado. Neste momento, alguns dos tripulantes da embarcação resolveram instalar-se definitivamente nesta Ilha. Algum tempo depois, o capitão da embarcação retornou a Desterro com professores e profissionais liberais dispostos a estabelecer uma comunidade grega na Capital, dando origem à primeira colônia grega constituída no Brasil. Todos tiveram origem na aldeia natal de Savas, na pequena Ilha de Kastellorizon no Mar Egeu. Cultura, história, esporte juntos. Emocionante e linda de assistir a prova Petra Dive Games entrou para a história esportiva e tem tudo para se tornar um sucesso anual! Curta @petradivegames Apoiadores: Apneia Total Cultura Subaquática Central de Aventuras Mormaii Fundive Ilhas Gregas Congelados Rancho de Canoa Restaurante

#videosrecordes

0 visualização

+55 (48) 99960-2533

  • Spotify - Círculo Branco
  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle
  • Twitter - White Circle
  • YouTube - White Circle

FOTOGRAFIA: Tiago J Silva | Zaira Matheus |  Martha Granville  |  Gabriel Rinaldi  |  Dan Burton | Marcos Villas Boas

LOGOTUPIX.png

DESIGN: